Início UMBANDA Que se abram as garrafas e se acendam as velas!

Que se abram as garrafas e se acendam as velas!

10 minuto(s) lendo
1
0
143

A Umbanda é uma religião rica em trabalhos espirituais. Nós encontramos as manifestações destes trabalhos em quase tudo que se realiza na religião e quando se trata exatamente disto, trabalhos espirituais na Umbanda, boa parte envolvem a utilização de materiais os mais diversos. É sobre a utilização destes materiais que eu gostaria de chamar a atenção do amigo leitor.

Diante da minha experiência, em quase três décadas como umbandista, já me preocupei em entender esta relação trabalhos espirituais versus material utilizado e eis algumas das minhas conclusões:

a) A Umbanda é uma religião que busca abarcar o maior número de consciências.
b) Para isso ela tem que ser uma religião abrangente e não voltada para um seleto grupo, ou esperar que as pessoas tenham uma determinada condição para dela fazerem parte.
c) Desta forma ela não é discriminatória, nem em relação a sexo e/ou opção sexual, raça, classe social e faixa etária (idade).
d) Eis o motivo principal da Umbanda não ser uma religião codificada. A Umbanda trabalha com a subjetividade da consciência humana, ou seja, o que existe na mente; que pertence ao sujeito pensante e a seu íntimo, logo ela tem a visão de cada pessoa como ela é de fato, única (não existem dois seres humanos iguais).
e) Todo ser humano se relaciona com o invisível, criando referências objetivas, por exemplo, ao se pensar em Deus, imediatamente se cria uma imagem para representá-lo. Fica mais fácil de se relacionar com algo que possa ser captado de forma objetiva por um, mais de um, ou todos os nossos sentidos. Para isso a mente realiza correlações e inter-relacionamentos do que conhecemos, com o que queremos conhecer ou se relacionar. A nossa relação com o Sagrado se dá desta maneira. Cada consciência pode fazer isto de forma diferente, embora sempre existam determinados padrões e semelhança de situações, a Umbanda procura, para cada mente, oferecer referências adequadas e estimular processos que facilitem este contato transcendente.
f) Assim, encontramos diversos tipos de liturgias e ritualísticas (um terreiro nunca é totalmente igual ao outro), as manifestações de uma determinada entidade em diferentes médiuns variam, pois as mentes dos médiuns e sua mediunidade são diferentes etc.
g) Posto isto, os elementos ritualísticos existem, para servir de apoio para a formação de todo um processo, que ajude aos que frequentam um terreiro, realizar este encontro com o invisível, o Divino e o Sagrado. As imagens, o altar, a decoração do ambiente, o fardamento dos médiuns, as guias e colares, a defumação com incenso, as velas acesas e demais objetos ou elementos utilizados em nossa religiosidade cumprem este papel de acessar os nossos sentidos e construir uma ponte entre a nossa consciência e o mundo espiritual.

No caso dos trabalhos espirituais, os materiais além de realizarem o que acima foi descrito, servem de elementos de manipulação magística, de coesão e expulsação de forças, de catalisadores (aceleradores) na criação de algo que se deseje ou almeje com o trabalho, de fixadores ou imantadores para a invocação (pedido, chamado de auxílio ou socorro espiritual) e para evocação (atração de forças espirituais ou espirítos específicos). Enfim, a utilização dos mais diversos tipos de materiais geram a condição coletiva (caso esteja participando mais de uma pessoa) ou individual necessária para que se visualize algo concreto, para poder então se construir o elo, a ponte, o portal com o mundo invísivel e espiritual.

Sendo assim, todo o material exigido para um determinado trabalho deve ser usado. Todo elemento entregue para ofertar a uma entidade deve ser utilizado. Qualquer objeto que for solicitado por uma entidade ao seu consulente deve ser totalmente empregado no objetivo da consulta.

Como utilizar bebidas (cachaça/aguardente etc.) em um determinado trabalho e não se abrir as garrafas, para derramar, ou despejar em recipientes? Para que solicitar velas que jamais serão acesas e outros tipos de materiais que não são usados completamente? Para que sobrar alguma coisa em um trabalho espiritual?

Para esclarecer melhor… Se você vai a um terreiro, se consulta com uma entidade que lhe solicita uma vela, esta deve ser acendida e não simplesmente entregue apagada e pronto. Qual é o sentido? Ficar com a vela ofertada com a intenção de vender para o próximo consulente? Me poupem, mas isto já é esperteza e se irmos mais profundo, artigo do código penal.
Os consulentes de terreiros merecem o devido respeito e a total consideração!

Se o objetivo é arrecadar dinheiro existem outras maneiras de se fazer isto, para fins claros e específicos, sem precisar ludibriar e menosprezar a fé alheia.
A Umbanda é uma religião ÉTICA!
O mundo espiritual é RESPONSÁVEL e CORRETO em suas orientações e recomendações de trabalhos!
A doutrina da Umbanda prega a EVOLUÇÃO ESPIRITUAL, procurando para isso TRANSFORMAR CONSCIÊNCIAS, ensinando a prática do BEM, do AMOR e da CARIDADE!

Por isso amigo leitor, em casas que não se abrem as garrafas e nem se acendem as velas ofertadas, muito cuidado!!! Talvez você tenha batido em porta errada e não em um terreiro de Umbanda.

CAIO DE OMULU
http://umbandasemmisterio.blogspot.com/

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Administrador
  • ATOTÔ MEU PAI!!!

    Estou escrevendo com atraso, mas não posso deixar passar em branco a oportunidade de sauda…
  • Nossa Senhora da Glória, como também és conhecida….

    Na verdade é a Rainha de todos os mares, onde se iniciou há milhões de anos o cadinho de c…
  • FORÇA CIGANA

    Força Cigana do Astral, bendita falange de espíritos iluminados pela Sabedoria e Energia d…
Carregar mais em UMBANDA

Um comentário

  1. Lora

    13 de maio de 2008 en 23:36

    O que significa quando as chamas de duas velas próximas ficam altas. Ou seja, como se uma força as puxassem para cima?

Deixe uma resposta

Verifique também

ATOTÔ MEU PAI!!!

Estou escrevendo com atraso, mas não posso deixar passar em branco a oportunidade de sauda…