Início UMBANDA Ensinamentos de um Vaqueiro

Ensinamentos de um Vaqueiro

2 minuto(s) lendo
1
0
173

Eu fui um Egum! Digo isso com orgulho, porque desencarnei enroscada em um pé de agi queiro. Os terreiros me expulsavam não me ajudavam a encontrar o caminho da luz, porque falam que Egum é um espírito mal e que não deve visitar terreiros.

Hoje sei que isso não é verdade, pois a função dos terreiros é doutrinar os espíritos que sofrem sem luz,

Foi um espírito por nome de conceição que abriu meus caminhos para que eu encontrasse a luz, preparando assim um menino e uma menina, que um dia veio a desenvolver, abriram um terreiro, no qual fui recebido de braços abertos.

Os terreiros do Brasil deveriam ver isso como uma grande lição porque muitos espíritos sofredores que dão o nome de Egum se forem doutrinados como eu fui poderão, fazer muito mais que eu, pela nossa umbanda.

Enquanto existir um Egum ou um espírito sofredor, não deixarei de sofrer.

Assim isso eu digo tenho orgulho de ser um EGUM. Porque os terreiros que não me aceitam tenham certeza seus chefes serão Eguns amanha.

“Vamos tocar uma casa de umbanda criticada pela maioria das religiões, Mais abençoada por Deus”.

Contada por um Vaqueiro
Terreiro de Umbanda Iansã e Mamãe Oxum

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Administrador
Carregar mais em UMBANDA

Um comentário

  1. SOLANGE

    24 de janeiro de 2008 en 19:39

    maravilhosa história desse vaqueiro
    fiquei emocionada
    obrigada

Deixe uma resposta

Verifique também

SALVE AS CRIANÇAS DA UMBANDA!!!

Nas praias, nas matas, nas montanhas, atravessando o ar, muitas risadas e palmas invisívei…